2 JUL
BAILADO PARA FACAS, TALHERES, MOTOSSERRAS E FANTASMAS

de RENATA PORTAS & EMÍLIO GOMES
Objectos e adereços: Inês Mota
Apoio a figurinos: Jordann Santos
Mixagem de som: Pedro Sousa
Apoio à produção: Público Reservado
Comunicação: lina&nando
Coprodução: Companhia Instável, Teatro Municipal do Porto
M/6

11h
duração 40′ | 5€ (criança + adulto), 3,50€ (bilhete individual)

Um ballet feito de sons, objetos do quotidiano e fantasmagorias de sons. Como dança um serviço de jantar? Ou três copos? Uma motosserra pode bailar? Um ballet que deve tanto ao teatro (sobretudo ao teatro de feira, tradição perdida) como aos contos infantis e a sua ilimitada capacidade de dar animação a tudo que rodeia as crianças, à música, ao circo, à opereta. Um ballet que nasce da nossa incapacidade de nomear de dança – apenas e só – corpos humanos que se deslocam num espaço em busca de sentidos (dramatúrgicos ou outros). Uma noite de ballet grotesco em homenagem às noites povoadas de terror.

Ativo 3

Rua de Costa Cabral 128, 4200-208 Porto

(Projeto do Perpétuo desenvolvido em parceria com a Opium)